Não somos donos de nossos Sonhos…

A principal teoria a respeito dos sonhos partiu de Sigmund Freud que caracterizou os sonhos como a liberação de desejos reprimidos. Para Freud as coisas que desejamos e que não nos encorajamos a fazer são liberadas pelo inconsciente quando dormimos.

Freud explica que o esquecimento dos sonhos ocorre porque o cérebro não busca lembrar das coisas que são reprimidas e liberadas durante o sonho.

Além dos sonhos positivos, existem também os chamados pesadelos (sonhos ruins). Segundo pesquisas, eles aparecem como uma resposta do organismo às emoções muito intensas. Os sonhos refletem também as informações guardadas no cérebro.

Por que sonhamos?

O sistema límbico presente no cérebro é responsável por essa viagem da mente. A primeira ideia de Freud confirmada pela ciência é a de que os sonhos seriam restos do dia. Ou seja: algo que acontece com você de dia reflete durante os sonhos.

Se uma pessoa teve hoje uma experiência marcante, a chance de essa experiência entrar em seu sonho é muito grande”. Se foi para a guerra do Iraque, nos próximos anos vai sonhar com guerra. Mas, como em nossa vida moderna ninguém tem experiências extremas todos os dias, os sonhos acabariam sendo uma mistura simbólica de um monte de coisas.

Mas de onde vem aqueles sonhos malucos, com cenas que você nunca viu? Do seu inconsciente. É lá que estão guardadas as lembranças adquiridas ao longo da vida.

Qual a função dos sonhos?

“Tudo indica que o sonho tem a função de simular comportamentos, tanto os que levam a recompensa (os bons) como os que levam a punição (os pesadelos)”, sua função seria evitar ações que resultem em punição e procurar aquelas que levam à satisfação do desejo.

É durante o momento de descanso físico, que nossa mente trabalha e faz da imaginação um campo aberto para descobertas e decisões, toma dimensões inesperadas e faz de cada sonho algo diferente e único.

Bom sonhos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *