As vidas que nós escolhemos…

Quando entramos na adolescência, temos a difícil tarefa de escolher o nosso futuro. E é nessa idade que temos muitas dúvidas.

Muitas vezes por interferência da família, acabamos fazendo escolhas erradas, e para agradar nossos pais acabamos escolhendo o que não queremos.

A maior parte das nossas opções de vida é baseada no que não queremos. Escolhemos o casamento, para não ficarmos sozinhos. Cursamos uma determinada faculdade não por querer aquela profissão, mas por não querer as dificuldades da área para a qual temos a verdadeira vocação.

E assim, de escolha em escolha, vamos vivendo a vida que os outros escolheram para nós, e acabamos arrependidos por fazer escolhas que em nada nos realizam, e em nada nos fazem felizes.

Também fazemos escolhas numa determinada etapa de nossa vida, sem pensar nas consequências, achando que será a melhor coisa do mundo, mas o tempo vai passando e nos damos conta, que aquilo foi um erro, e não dá mais para consertar, o arrependimento é muito forte, só o que podemos fazer é lamentar, e usar como experiência para nossas próximas escolhas.

Por isso, ao decidirmos optar por A ou B, devemos pesar numa balança, qual escolha irá nos realizar, qual escolha nos fará mais feliz.

Devemos ser mais egoístas, na hora de nossas escolhas, deixar de ouvir o que os outros acham, e também deixar o medo e o comodismo de lado.

Outra dica é prestar atenção na vida dos amigos, parentes, etc., observando as experiências alheias vamos absorvendo as coisas positivas e negativas, servindo de aprendizado para nossas vidas.

Beijos,

Madame.

Seja o primeiro a comentar em "As vidas que nós escolhemos…"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*