Até onde vai a paciência de uma mãe?

As vezes as mães, ficam cegas de amor por seus filhos, quando eles nascem, que perdem a noção, de como devem educá-los.

As mães esquecem de dar limites, deixando os filhos fazerem o que querem. Ser mãe é mesmo padecer no paraíso, porque uma mãe já começa a padecer na gravidez, com enjôos, parto, noites mal dormidas, doenças, febres, artes e teimosias.

As crianças não estão nem aí para o que fazemos ou deixamos de fazer, desde que façamos todas as suas vontades…Muitas mães chegam a renunciar sua vida pelo filho, o único problema, é que eles vão crescendo e tomando conta da vida dos pais, da casa, e de tudo, eles acham que são o centro das atenções, e os pais são seus empregados.

Então, os filhos crescem e vão para a escola, e os problemas começam a aparecer. Nós mães temos muito trabalho e dedicação para criar nossos filhos, mas muitas vezes, depois que eles crescem, dão muitas decepções. As novelas estão mostrando como os jovens tratam suas mães.

Os filhos por serem imaturos, não entendem o lado bom ou ruim da vida, por isso cabe aos pais dar o limite ao qual eles necessitam, não esquecendo, o diálogo é fundamental.

Qual pode ser a solução?

Muita autoridade e diálogo. Todo pai e toda mãe deve impor limites aos seus filhos, desde pequenos, vigiando e acompanhando seus passos para onde forem, para depois não ficarem, chorando o leite derramado.

Os motivos que levam os pais a se decepcionarem com seus filhos:

– Pais ocupados demais, e sempre ausentes.
– Pais que trabalham demais e estão sempre estressados em casa.
– Pais que se omitem na disciplina dos filhos.
– Pais que falam uma coisa, mas fazem outra.
– Pais que nunca expressam o seu amor através de gestos e palavras.
– Pais que nunca reconhecem que estavam errados e nunca pedem perdão.
– Pais que exigem demais dos filhos, muito além do que eles podem realmente fazer, principalmente nos esportes e estudos.
– Pais violentos ou frustrados e infelizes.
– Pais que projetam as suas frustrações sobre os filhos, coisas que os pais queriam ter sido mais não conseguiram, como sua profissão.
– Excesso de atividades dos filhos, pais que matriculam os filhos em várias atividades.
– Pais que nunca ouvem os filhos nem respeitam as suas opiniões.
– Pais excessivamente permissivos, e que nunca dizem Não.
– Pais mais preocupados com o seu bem estar do que com o bem estar da família.
– Mães que nunca estão presentes nos momentos da vida do filho.
– Pais que enchem os filhos de dinheiro sem limites, para compensar a ausência.

Boa sorte e muita paciência!

Seja o primeiro a comentar em "Até onde vai a paciência de uma mãe?"

Comente isso

Seu e-mail não será publicado.


*