Quem Escreve Nossos Caminhos Somos Nós Mesmos!

Palavras da jornalista e psicanalista gaúcha Carmen Da Silva. Depois da morte de seus pais, foi viver no Uruguai, e Argentina, como jornalista. Sustentava-se com o próprio dinheiro, já nos anos 1940-1950. Nunca se casou formalmente, embora tenha vivido com um homem bem mais novo e negro, um escândalo para a época. Optou por não ter filhos, pois adorava viajar, falava várias línguas. Sua casa sempre foi ponto de encontro de intelectuais.

Sua vida se transformou quando ela veio para o Rio de Janeiro, e foi contratada pela editora Abril, quando Carmen começou a publicar seus artigos, para a revista Cláudia, a partir de 1963, na coluna ” A arte de ser mulher”, e conquistou seu sucesso.

Gaúcha Carmen da Silva

A jornalista defendia a mulher e desmistificava a rainha do lar. Para ela a dona de casa, deveria abrir as janelas para o mundo e tornar-se uma pessoa ativa em seu meio social, conquistando opiniões e valores próprios. Mas seus artigos assustaram os homens, que começou a receber cartas com xingamentos dos maridos, pedidos dos homens: deixem-nos em paz, preferimos não saber!

“Consciência dói…”, dizia ela.

Mas Carmen não queria assustar as leitoras, ela sabia que deveria avançar com cuidado, e aos poucos. Depois começou a dar palestras em universidades. Seu trabalho terminou com sua morte em 1985, aos 66 anos, então chegou ao fim “A arte de ser mulher”.

Mas graças a essa mulher inteligente, as mulheres começaram a conquistar seu espaço!

Seja o primeiro a comentar "Quem Escreve Nossos Caminhos Somos Nós Mesmos!"

Comente

Seu e-mail não será publicado


*