Um pouco de Literatura: A vida de Clarice Lispector

Clarice Lispector me inspira profundamente. Sou amante de suas frases, suas palavras me encantam. Fiz esta pesquisa para descobrir um pouco do mistério da grande escritora.

Algumas frases de Clarice Lispector que me identificam:
“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.”

“Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outros amores. E outras pessoas. E outras coisas”.

“No fim tu hás de ver que as coisas mais leves foram as únicas que o vento não conseguiu levar!”

“Não me prendo a nada que me defina! Sou companhia mas posso ser solidão… tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio! Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer. Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato… ou toca, ou não toca!”

“Antes de me organizar, tenho que me desorganizar internamente. Para experimentar o primeiro e passageiro estado primário da liberdade. Da liberdade de errar, cair e levantar-me”.

“Quando tiraram os pontos de minha mão operada, por entre os dedos, gritei. Dei gritos de dor, e de cólera, pois a dor parece uma ofensa à nossa integridade física. Mas não fui tola. Aproveitei a dor e dei gritos pelo passado e pelo presente. Até pelo futuro gritei, meu Deus”.

Biografia de Clarice

Clarice nasceu em 10/12/1920 na Ucrânia. Faleceu em 09/12/1977. Chegou ao Brasil quando tinha 2 meses de idade. Além de escritora, tradutora, e jornalista. Clarice foi colunista do Jornal do Brasil, do Correio da Manhã e Diário da Noite. As colunas eram destinadas ao público feminino, e abordavam assuntos como dicas de beleza, moda e comportamento.

Com nove anos perdeu a sua mãe, 10 anos depois perdeu também o seu pai. Em seguida, casou-se com Maury Gugel Valente, seu colega na Faculdade de Direito, mudou-se para Belém com seu marido, onde permanecem por seis meses. Em seguida viaja para Nápoles (Itália), onde o marido assume a função de vice-cônsul do Brasil.

Separou-se do marido, em 1959 depois de um casamento de 15 anos, retornou para o Brasil, com dois filhos. Um fica com ela, e outro retorna com o pai para o exterior.

Em 1960, publicou “Laços de família”, em sua coluna ”Só para mulheres”, no diário da noite. Em 1967. Na madrugada de 14 de setembro, Clarice sofre um incêndio que lhe deixa marcas na mão direita e que exige algumas cirurgias.

Em 1977, foi hospitalizada pouco tempo depois da publicação do seu livro “A hora da estrela.

Faleceu de câncer no dia 09/12/1977, um dia antes de completar 57 anos, foi enterrada no Rio de Janeiro.

Em 1978, foi publicado “Um sopro de vida”, que ela considera “pulsações”, fragmentos que foram reunidos por sua amiga Olga Borelli.

Curiosidades:
Como se não bastasse todo o conflito íntimo, Clarice tinha plena consciência das dificuldades financeiras que sofria, o que lhe causava raiva, não maior que a raiva que sentiu, ao saber do câncer que a consumia. Quando soube confirmada a doença, pediu à Olga Borelli, sua amiga que escrevesse:
– “Dentro do mais interior de minha casa morro eu neste fim-de-ano exausta. Até fim-de-ano eu tive. Mas como se verá – não correu sangue. Bem que eu queria que correse, e do mais brilhoso e da mais espalhafatosa faísca de fogo só para que fique provado em veia grossa minha foi tão de súbito lancetada. Chorei de raiva, raiva contra mim mesma. Me detestei por ser tão ingênua. Minha desordem criadora: do caos nascem as estrelas. Mas esta estrela, a do fim-de-ano, era de carne, pensava, e, a cada talho, doía…”(Clarice LIspector)

1 Comentário em "Um pouco de Literatura: A vida de Clarice Lispector"

  1. De qual livro da Clarice lispector pertence a primeira frase desta publicação?
    “Não me prendo a nada que me defina! Sou companhia mas posso ser solidão… tranquilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono.

Comente

Seu e-mail não será publicado


*